JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Outubro 2018 - Nº 132 - I Série - Vila Franca de Xira, Azambuja, Alenquer, Arruda dos Vinhos e Sobral de Monte Agraço

Vila Franca de Xira, Azambuja, Alenquer, Arruda dos Vinhos e Sobral de Monte Agraço

Entrevista ao Presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova da Raínha

Mário Jorge Soares Parruca

J.A.-Valorize o sector primário e o turismo dessa freguesia.
P.J. No sector primário valorizo a agricultura, devido aos excelentes terrenos que temos na freguesia para as diversas culturas (arroz, milho, tomate, etc.),no turismo valorizo a igreja paroquial de Santa Marta que possui em termos de património artístico-religioso do Município, a maior composição figurativa e cenográfica azulejar, possivelmente dos finais do século XVIII, início do século XIX, relatando a vida da sua Padroeira, Santa Marta, o monumento sobre aviação, as pontes de S. Bartolomeu e as paisagens da lezíria são outros locais de interesse.

J.A-O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente, no nosso país, e qual a causa/efeito?
P.J. A violência doméstica tem aumentado drasticamente nos últimos anos, mas tem que ser estimada também pela maior divulgação dada pela comunicação social em todas as camadas sociais, relatos esses que antigamente não eram tao divulgados.
A causa pode ter a ver com a crise social que cada vez é maior, e comportamentos cada vez menos respeitosos.

J.A-A delinquência infantil no meio urbano como no escolar e neste momento uma infeliz realidade. Fale-nos sobre esta situação.
P.J. A delinquência infantil é uma situação que tem a ver um pouco com a vida social de cada jovem e com os valores que lhe são transmitidos pela própria sociedade.

J.A.- O que pensa sobre a violência gratuita que se está a gerar na nossa sociedade?
P.J.  A violência gratuita é condenável em todas as suas vertentes, e deve ser punida pela nossa justiça em todas as vertentes da mesma.

J.A.-Estando a população cada vez mais envelhecida, e muita dela sem apoio familiar e recursos financeiros, que apoia presta a autarquia a esta realidade?
P.J. A autarquia apoia no transporte ao centro de saúde, tem protocolo com médico e farmácia na sua sede, apoia na realização de passeios de convívio social, dentro do quadro das suas possibilidades.

J.A.-Qual o maior problema com que essa freguesia se debate?
P.J. O maior problema é o envelhecimento da população e algumas infraestruturas.

J.A.-Que outros problemas necessitam de maior intervenção?
P.J. O bairro da Socasa precisa que seja terminado, que sejam corrigidos alguns problemas de construção para ter mais condições e poder atrair mais população jovem à freguesia.

J.A.-Que perspetivas tem para o futuro da freguesia?
P.J. Acredito que esta Freguesia tem futuro. Porque neste momentovejo cada vez mais a população toda em geral, a participar na vida ativa da freguesia e a perceberem que a sua participação leva com que a freguesia seja uma freguesia melhor em todos os seus capítulos.

J.A.-Como é a situação financeira da autarquia?
P.J. A situação é estável dentro dos parâmetros do orçamento com uma gestão de verbas rigorosa.

J.A.-Qual o apoio que a câmara presta às juntas de freguesia?
P.J. A câmara presta apoio sempre que o seu orçamento permite, porque o restante está retratado no acordo de execução.

J.A.-Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?
P.J. A mensagem à população é que cada vez mais participe na vida ativa da freguesia, porque só assim juntando forças e ideias se consegue uma freguesia em que todos possamos viver melhor.

J.A.-Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?
P.J. Com grande compreensão de ambas as partes, porque ambas precisam das mesmas 24h do dia.

J.A.-Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?
P.J. Que continuem o bom trabalho que vão realizando na divulgação dos vários problemas das autarquias.

Mário Jorge Soares Parruca

Go top