JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Julho 2018 - Nº 129 - I Série - Lisboa

Lisboa

Entrevista do Presidente da junta de freguesia de Santo António

Vasco André Lopes Alves Veiga Morgado

1 – Apesar do turismo ter-nos criado algumas questões mais difíceis para resolvermos (exemplo o aumento do lixo nas ruas que sobcarrega o nosso serviço da Limpeza Urbana), a Freguesia de Santo António valoriza o sector desde sempre porque somos uma freguesia que tem muitos pontos turísticos a visitar.

2 – Os resultados eleitorais demonstram que o cidadão está cada vez mais atento e está a usar a democracia no seu expoente máximo.

3 – A resposta que temos dado ao desemprego tem sido através da criação de apoios de projetos sociais adaptados à realidade que vivemos na nossa freguesia. Os indicadores externos dados pelo governo central não batem certo com esta realidade, “felizmente” mas a nossa proximidade faz com que conseguíamos encontrar soluções para os casos que nos surgem.

4 – Não podemos falar pelo concelho mas pela freguesia e a mesma faz ações de sensibilização para retirar as pessoas sem-abrigo das ruas através de soluções de encontrar habitações e cuidados básicos adaptados a cada situação.

5 – O que pensamos sobre a violência doméstica na freguesia está explícito no projeto Espaço Júlia, a funcionar desde o dia 27 de julho de 2015. Um espaço único do país aberto 365 dias por ano, 24horas por dia.Oferece um atendimento especializado, feito por técnicos de apoio à vítima da Freguesia de Santo António com formação específica na área da violência doméstica, conjuntamente com agentes da PSP. Tem dois gabinetes, um espaço dedicado às crianças e tem, para além da intervenção direta, competências na promoção de atividades de carácter preventivo e pedagógico na comunidade local.
Da autoria do departamento de Ação Social da Freguesia de Santo António, entidade que há vários anos desenvolve parcerias institucionais com vista à sinalização, apoio e encaminhamento de vítimas de violência doméstica, o novo equipamento, designado Espaço Júlia - RIAV (Resposta Integrada de Apoio à Vítima) - funciona na Rua Luciano Cordeiro, em instalações junto à entrada do Hospital Santo António dos Capuchos. 

6 –A nossa preocupação em dar ferramentas às crianças para que estejam ocupadas com outras atividades implica um esforço desta freguesia na criação de projetos como: o Canto do Conto, Projeto Bússola, Passaporte de Leitura entre outros, porque achamos que é através da experiência adquirida que se consegue prevenir comportamentos desviantes.

7 –Não percebi a razão de ser desta questão por causa das outras que já respondemos.

8 – Os projetos que temos para dar resposta a esta realidade são: Vassouras& Companhia(desde 2012 que este projeto disponibiliza vários serviços diários dirigidos a pessoas com mais de 65 anos. As ajudas vão desde o auxílio na higiene pessoal e do lar, ao acompanhamento nas deslocações diárias (tais como idas ao médico, supermercado, farmácia, missa, etc.), a pequenas reparações nas habitações e ao próprio convívio, essencial para combater a solidão),a primeira mercearia social com moeda própriaVALOR Humano,exclusivamente dirigida aos cidadãos da freguesia com condições socioeconómicas sensíveis, identificados pelo Departamento de Ação Social da Freguesia, é possível escolher bens alimentares, vestuário, produtos de higiene pessoal, artigos puericultura, entre outros.Para além disso a Freguesia de Santo António organiza uma série de atividades lúdicas e culturais, desde passeios, idas ao cinema, teatro… Tudo fazemos para que os nossos seniores não se sintam sozinhos.

9 – O Espaço Público. Recebemos orçamento para a manutenção do espaço público para 12 mil habitantes (recenseados) e trabalhamos para 200 mil. Não há milagres.

10 – Uma política de repovoamento da freguesia com pessoas reais.

11 – Que se consiga chegar a todos por igual. E que possa fechar alguns projetos como o Espaço Júlia porque é um sinal de que deixaram de ser necessários.

12 – Continuo a “investir” nesta freguesia porque nasci e cresci nestas ruas e conheço os problemas reais das Pessoas que, tal como eu, ainda habitam em Santo António.
A mensagem que levo às reuniões/eventos é de união porque estamos a trabalhar em prol de todos.

13 – A situação financeira é estável.

14 - A ligação entre a Câmara e as Juntas é a mesma que um pai presta a um filho. A revisão administrativa trouxe competências para as Juntas de Freguesia que no passado eram da competência da Câmara e a mesma está a ensinar a trabalhar com elas.

15 – Continuem a acreditar no trabalho da equipa que tenho a honra de liderar porque estamos cá por Santo António, pelas Pessoas, Sempre.

16 – É difícil porque a vida de autarca não tem horas. É um trabalho sete dias por semana, 24h por dia. E só com o apoio familiar forte, unido e prático é que conseguimos levar a bom porto tanto a vida familiar como a do trabalho.

17 – Quero agradecer ao Jornal das Autarquias as perguntas porque estas iniciativas aproximam os cidadãos dos seus eleitos.

Vasco André Lopes Alves Veiga Morgado

Go top