JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Maio 2018 - Nº 127 - I Série - Braga e Viana do Castelo

Braga e Viana do Castelo

Nelson Cristiano Gonçalves Ferreira

Entrevista ao Presidente da Junta de Freguesia de Serzedelo

Nelson Cristiano Gonçalves Ferreira

J.A.- Tendo havido alteração nos resultado eleitorais autárquicas de 2017, o que pensa sobre isso?
P.J.- O resultado das eleições, foi uma mudança. a população acreditou que Serzedelo precisava de uma equipa nova. Apresentamo-nos como um rumo de mudança para Serzedelo, com sonhos, trabalho e conquista:

J.A.-Qual a sua Opinião sobre o OE para 2018?
P.J.- Não é um orçamento fácil, muito menos para as freguesias.

J.A.-O aumento de desemprego gerou muita pobreza e, estando esse concelho inserido num dos distritos considerados de maior carência económica, como está essa autarquia a gerir esse problema?
P.J.- Neste momento há sinais de investimento em Serzedelo. Aparecem os pavilhões na zona industrial do Sr. Crispim Abreu. Apareceram algumas empresas novas e isto deixa-nos com esperança no futuro.

J.A-O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente, no nosso país, e qual causa/efeito?
P.J.- A violência é um tema transversal nas várias faixas etárias, e precisamos de educar as nossas crianças/ adolescentes/ jovens desde cedo, para a poder evitar ou minimizar.

J.A-O que pensa sobre a violência gratuita que se está a gerar na nossa sociedade?
P.J.- É reflexo desta corrida em que vivemos, desde querer tudo com muita facilidade… temos que refletir sobre o que é realmente importante e o que estamos a deixar, para as gerações vindouras. que valores nos regem? o que queremos deste nosso planeta? temos que parar, pensar e ter ideias para tornar um mundo melhor.

J.A.-Que apoio presta a autarquia aos mais idosos?
P.J.- A autarquia promove atividades desportivas (como a hidroterapia), realiza todos os anos o passeio para os seniores, e apoia os grupos informais, que foram surgindo na comunidade (cantares, bordados, por exemplo)

J.A.-Qual o maior problema com que essa freguesia se debate?
P.J.- Começa com a habitação, a falta desta para fixar os jovens na terra. e sofre com muitos outros problemas, precisa de evoluir em todas as áreas. Estamos no limite do concelho, mas queremos fazer parte deste futuro mais verde e sustentável.

J.A.-Que outros problemas necessitam de maior intervenção?
P.J.- O restauro da nossa igreja românica e todo o espaço da centralidade da vila, são projetos que queremos ver concretizados zonas de lazer. Queremos qualidade de vida, para os que cá estão e ser atrativos para que outros possam vir.

J.A.-Que perspetivas tem para o futuro da freguesia?
P.J.- Queremos qualidade de vida, para os que cá estão e ser atrativos para que outros possam vir. essa é mesmo a nossa perspetiva, trabalhar nos vários projetos

J.A.-Como é a situação financeira da autarquia?
P.J.- Neste momento dá para gerir o dia-a-dia. Precisamos de todos os outros protocolos, com a Câmara Municipal, principalmente, para que as obras se possam fazer

J.A.-Qual o apoio que a câmara presta às juntas de freguesia?
P.J.- A Câmara pode apoiar as freguesias através de protocolos de delegação de competências ou sendo a mesma a fazer as obras.

J.A.-Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?
P.J.- Prometemos que vamos trabalhar todos os dias, para que as promessas sejam uma realidade no decorrer deste mandato, com olhar atento para o futuro.

J.A.-Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?
P.J.- Não é fácil. Mas é preciso disciplina e muito muito trabalho.

J.A.-Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?
P.J.- Que façam um bom trabalho, e nos ajudem a divulgar aquilo que de melhor se faz em Portugal. a nossa cultura, tradição, as nossas pessoas.

Go top