JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Maio 2019 - Nº 139 - I Série - Aveiro e Viseu

Aveiro e Viseu

Entrevista do Presidente da junta de Freguesia de São João das Areias

Alfredo José Cordeiro Hervet

J.A. - Valorize o sector primário e o turismo dessa freguesia?
P.J.- Respeitante ao setor primário, verifica-se a existência de uma agricultura maioritariamente de subsistência, para consumo próprio, ou de suas famílias. Havendo a registar alguma agropecuária - criação de bovinos, ovinos, caprinos e uma coelheira, destinados de forma geral a abate, alguma criação e venda de leite.
A nível turístico, verifica-se a existência de deslocação de emigrantes de regresso às suas origens e pouco mais.

J. A. - O aumento do desemprego gerou muita pobreza, como está essa freguesia a gerir esse problema?
P.J.- Felizmente, nesta Freguesia, não se verifica desemprego, estando-se em pleno emprego, graças a industrias empregadoras na área do município de Santa Comba Dão e em especial dos concelhos Limítrofes, a saber: Tábua, Carregal do Sal e Tondela.

J. A. - O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente no nosso país e qual a causa e efeito?
P.J.- A problemática da violência doméstica infelizmente em Portugal é transversal a todo o país e agravou-se bastante com o decorrer dos tempos. Havendo a registar o enorme acréscimo de casos no corrente ano, a nível geral.
Felizmente na Freguesia de São João de Areias não se tem verificado casos, apenas situações pontuais, de menor gravidade.
Do conhecimento que tenho, os casos de forma geral, acontecem geralmente em situações de carências económicas e por falta de cultura.

J. A. - A delinquência infantil tanto no meio urbano como no escolar e neste momento um infeliz realidade. Fale-nos sobre esta situação.
P.J.- Penso que este problema é uma realidade e uma consequência da sociedade atual, por vezes por culpa dos educadores, que nem sempre agem da forma mais correta, protegendo de forma excessiva e as atitudes dos filhos por vezes refletem-se por falta de inserção na sociedade. Pelo que os pais e toda a sociedade, no essencial a área escolar, no meu entender, deveria tomar mais atenção a esta realidade.

J. A. - O que pensa sobre a violência gratuita que se está a gerar na nossa sociedade?
P.J.- Atualmente e muito por consequência de toda uma sociedade moderna, que tem as suas vantagens, mas por vezes, também desvantagens, gera-se todo um conjunto de violência, daqueles que por vezes tudo querem, sem nada por vezes poderem, de forma a obterem de pessoas mais fragilizadas, através do medo, onde se inclui o roubo de forma violenta, ou outras formas de violência, dinheiro ou bens pecuniários, que lhe permitirá satisfazer necessidades.

J. A. - Estando a população cada vez mais envelhecida e muita dela sem apoio familiar e recursos financeiros, que apoio presta a autarquia a esta realidade?
P.J.- Á Junta de Freguesia de acordo com as suas possibilidades financeiras, intervém perante algumas necessidades que possam surgir, ou presta encaminhamento a nível social, tentando desta forma que haja uma melhoria para aqueles que mais precisam.

J.A.- Com a aproximação do tempo quente, Verão, que tipo de prevenção utilizada para minimizar danos como os que aconteceram em anos transactos?
P.J.- Á Junta de Freguesia, limita-se a prestar informação e orientação aos cidadãos, de forma a evitar possíveis tragédias, estando as obrigações de limpeza impostas por lei, a cargo do município de Santa Comba Dão.

J.A.- Que apoios têm recebido do governo para colmatar esse flagelo?
P.J.- Não recebemos qualquer apoio, a nível de governo central.

J. A. - Qual o maior problema com que essa freguesia se debate?
P.J.- O maior problema com que esta Freguesia se debate é a baixa natalidade, o abandonodas aldeias, grande parte de casas não habitadas, uma população bastante envelhecida e oabandono generalizado das terras agrícolas e área florestal.

J. A. - Que outros problemas necessitam de maior intervenção?
P.J. - Da realidade da Freguesia, verifica-se uma necessária intervenção, na requalificação da rede viária existente e construção de estradas novas em projeto.
Pavimentação de acessos a residências, atualmente em terra batida.
Efetuar rede de saneamento em falta e requalificação de estações de tratamento de águas residuais.
Criação de espaços infantis e de lazer, com projetos já existentes.
Construção da Unidade de Saúde de São João de Areias, já prevista" em fase de concurso".

J. A. - Que perspectivas tem para o futuro da freguesia?
P.J. - O que o executivo pretende para a Freguesia, se veja realizado, traduzindo-se o mesmo na concretização dos projetos que pretende levar a efeito e que em muito melhorarão a vida dos habitantes da freguesia.

J. A. - Qual a mensagem que leva às mais variadas reuniões e eventos? E porquê investir nessa freguesia?
P.J. - Ao longo do mandato, insisto junto do Município, na resolução atempada e rápida dos problemas da freguesia, de forma a melhorar a vida de todos aqueles que aqui habitam, bemcomo a cativar o regresso de emigrantes, que procuraram melhores condições no estrangeiro.

J. A. - Como é a situação financeira dessa freguesia?
P.J. - A situação desta Freguesia é estável, muito limitada, permitido gastos em pessoal, manutenção que se exige na Freguesia e pouco mais.

J. A. - Qual o apoio que a Câmara presta às Juntas de Freguesia?
P.J. - No ano transato, existiu um contrato programa e no presente ano há expectativas de celebração de contrato programa para disponibilização de apoio financeiro, para investir nas necessidades da Freguesia.

J. A. - Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?
P.J. - O executivo da junta de Freguesia, desde a sua tomada de posse, está empenhado na melhoria de condições dos seus habitantes. Tem efetuado grande esforço em concretização dos seus objetivos, com a colaboração do Município de Santa Comba Dão, contudo, não conseguiu por vezes efetuar atempadamente as necessidades. No entanto, no espaço de pouco mais de um ano, conseguiu adquirir material logístico, ( diversa maquinaria ) que permitiu dar melhores condições de trabalho aos dois funcionários da Junta de Freguesia, traduzindo-se numa maior capacidade de resposta, mais rapidez na execução de trabalhos.
Deu início às obras de ampliamento do cemitério, de São João de Areias" há muito falado e solicitado", com construção da viga de fundação - estando-se a aguardar financiamento para a persecução do mesmo -.
Recuperou-se um espaço de lazer na localidade da Cancela.
Construi-se um espaço de lazer na Póvoa dos Mosqueiros.
Procedeu-se à recuperação de todos os bancos em madeira espalhados nos diversos lugares da Freguesia, estando alguns em muito mau estado, com pintura destes.
Procedeu-se à compra de uma viatura ligeira de mercadorias, usada, para utilização das necessidades da Junta de Freguesia.
Procedeu-se à compra de uma miniretroescavadoura usada, para serviço da Junta de Freguesia.
Efetuaram-se ainda algumas obras em arruamentos, com a colaboração de pessoas da freguesia e do Município, no levantamento de calçada no pontão do Ribeiro da Póvoa dos Mosqueiros.
Contudo reconhece-se que muito há a fazer e que iremos continuar a trabalhar para a Freguesia, que está acima de tudo e todos.

J. A. - Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?
P.J. - Consegue-se gerir a vida de autarca, com muito querer, muita disponibilidade e muita vontade de ajudar, na sua grande parte por " carolice ", ficando por vezes a vida familiar em segundo plano. Mas é a vontade de ajudar, de trabalhar para a comunidade, que prevalece.

J. A. - Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?
P.J. - Desejo desde já grande sucesso na divulgação de assuntos relacionados com as autarquias e que seja o porta voz para divulgar as nossas dificuldades e anseios e que aqueles que nos ouvem reflitam sobre o trabalho daqueles que querem ajudar e trabalham em prol das freguesias, mas nem sempre conseguem fazer o que se propõem, pelas diversas e inúmeras dificuldades do percurso.

Alfredo José Cordeiro Hervet

Go top