JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Janeiro 2018 - Nº 123 - I Série - Algarve

Algarve

Steven Sousa Piedade

Entrevista ao Presidente da junta de freguesia de Montenegro

Steven Sousa Piedade

J.A.- Tendo havido alteração nos resultado eleitorais autárquicas de 2017, o que pensa sobre isso?
P.J.- Naquilo que toca à Freguesia de Montenegro (JFM), houve um incremento significativo de votantes, nomeadamente 3,58% (337 votos) em relação ao ato eleitoral de 2013. Este aumento prende-se com a ação do executivo e do presidente no mandato autárquico ultimo.

J.A.-Qual a sua Opinião sobre o OE para 2018?
P.J.- Agora que a consolidação orçamental caminha a bom ritmo, o Governo, deverá ponderar muito bem onde investir. As Freguesias continuam a ser penalizadas, os seus orçamentos continuam aquém do esperado e exigido pelas populações. A meu ver, urge a necessidade de se reverem os critérios de atribuição dos Fundos de Financiamento das Freguesias (FFF), a titulo de exemplo, no território da Freguesia existe um Aeroporto Internacional, uma Universidade publica, uma área turística, a ria formosa. Na nossa opinião deveria existir uma majoração para colmatar os danos colaterais causados, inclusive a tutela deveria legislar para que os alunos das universidades, durante o período em que estão deslocados a estudar, pudessem estar recenseados nessas localidades.

J.A.- Em relação ao relatório sobre os incêndios de Pedrogão Grande, qual a sua opinião?
P.J.- Poder-se-ia ter ido mais longe. É uma situação preocupante, tanto que 4 meses depois a situação se repetiu... como presidente de uma associação humanitária de bombeiros também, acho gritante a forma inócua como o governo tem tratado a questão dos incêndios e a sua prevenção, bem como a atitude que teve (nada fez) ao saber que iriamos ter tempo seco, naqueles dias, por causa do furacão “Ofélia”.

J.A.-O aumento de desemprego gerou muita pobreza e, estando esse concelho inserido num dos distritos considerados de maior carência económica, como está essa autarquia a gerir esse problema?
P.J.- Temos procurado acompanhar os agregados familiares mais carenciados, quer através do apoio alimentar, transporte e vestuário. Temos uma parceria com o CASA. Mantemos alguns Projetos de apoio, o Transporte Solidário, a Junta Amiga, entre outros.

J.A-O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente, no nosso país, e qual a causa/efeito?
P.J.- É uma consequência do crescimento populacional e do “olhar para o lado” das entidades competentes, da sociedade em que vivemos e da falta de fiscalização. É inadmissível que assim continue, quem tem conhecimento de tais situações deverá denuncia-las imediatamente.

J.A-O que pensa sobre a violência gratuita que se está a gerar na nossa sociedade?
P.J.- Urge a necessidade de, com carater de urgência, a tutela legislar, e as entidades fiscalizadores atuarem sobre o assunto, bem como a sociedade civil deverá exercer o seu exercício de dever cívico.

J.A.-Que apoio presta a autarquia aos mais idosos?
P.J.- Temos projetos específicos, a saber, Junta Amiga e Transporte Solidário, bem como apoiamos algumas instituições da área. Desenvolvemos também ações pontuais com esta comunidade.

J.A.-Qual o maior problema com que essa freguesia se debate?
P.J.- Estacionamento anárquico como consequência de termos o Aeroporto Internacional de Faro inserido no nosso território.

J.A.-Que outros problemas necessitam de maior intervenção?
P.J.- Melhoria e criação de zonas verdes de lazer.

J.A.-Que perspetivas tem para o futuro do freguesia?
P.J.- Uma freguesia que reúne todas as características e condições para ser um local sustentável e profícuo para se viver com qualidade.

J.A.-Como é a situação financeira da autarquia?
P.J.- Muito estável.

J.A.-Qual o apoio que a câmara presta às juntas de freguesia?
P.J.- Temos, a findar, acordos de execução e delegação de competências em diversas áreas.

J.A.-Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?
P.J.- Queremos melhorar a vida dos nossos conterrâneos através de um trabalho sustentado na mudança e na inovação. Estamos cientes das necessidades da Freguesia e sabemos que temos muito trabalho pela frente em prol do crescimento qualitativo da Freguesia.

Montenegro é hoje um local mais apetecível. Acolhemos a Universidade do Algarve, o Aeroporto Internacional de Faro, a Concentração Internacional de Motos de Faro, uma magnifica Ria Formosa, entre outras. Procuramos que seja um local ainda mais moderno, com uma visão rumo ao Futuro, onde seja agradável viver e estar, e, para que tal perdure e melhore.

É este o nosso desígnio.

J.A.-Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?
P.J.- Nem sempre é fácil, umas vezes melhor, outras nem por isso, um dia de cada vez, procurando prioridades e nunca esquecendo o equilibro que deverá existir.

J.A.-Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?
P.J.- Que continuem a fazer o excelente trabalho como tem feito até aqui, enorme bem-haja a toda a equipa, estão de parabéns. Obrigado.

Go top