JORNAL DAS AUTARQUIAS

Inscrito na E.R.C. sob o nº 125290

Fevereiro 2018 - Nº 124 - I Série - Alentejo

Alentejo

António José da Luz Paulino

Entrevista do Presidente de Junta da União das Freguesias de Castro Verde e Casével

António José da Luz Paulino

J.A.- Tendo havido alteração nos resultados eleitorais autárquicas de 2017, o que pensa sobre isso?
PUF-No passado dia 1 de Outubro o povo de Castro Verde, entendeu mudar os protagonistas políticos do concelho, a União de Freguesias de Castro Verde e Casével foi um exemplo dessa mudança, pois em 41 anos de poder local, nunca tinha havido um executivo de cor politica diferente. Sinto, pois, um enorme orgulho em poder servir a população da minha Terra.

J.A.-Qual a sua Opinião sobre o OE para 2018?
PUF-O mundo rural normalmente nunca é tratado de igual forma que as regiões mais populosas, o OE 2018 deveria ter uma visão mais virada para estes territórios.

J.A.- Em relação ao relatório sobre os incêndios de Pedrogão Grande, qual a sua opinião?
PUF-Uma grande tragédia nacional, onde ninguém sai inocente da mesma.

J.A.-O aumento de desemprego gerou muita pobreza e, estando esse concelho inserido num dos distritos considerados de maior carência económica, como está essa autarquia a gerir esse problema?
PUF-Felizmente a nossa região, tem uma taxa de desemprego muito baixa, atendendo à industria mineira existente, contribuindo para um rendimento per capita acima do normal, mas trata-se de um oásis no Alentejo.

J.A-O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente, no nosso país, e qual a causa/efeito?
PUF-É um problema grave da sociedade actual, e em que todos devemos refletir, comunidade, autarcas, técnicos, Instituições de solidariedade social, etc

J.A-O que pensa sobre a violência gratuita que se está a gerar na nossa sociedade?
PUF-Falta Educação familiar, não podemos por a culpa sempre em cima de terceiros.

J.A.-Que apoio presta a autarquia aos mais idosos?
PUF-Protocolos e parcerias com as IPSS da União de freguesias, actividades culturais e de Lazer ao longo de todo o ano e serviços de atendimento personalizados com vista a resolver os seus problemas.

J.A.-Qual o maior problema com que essa freguesia se debate?
PUF-O envelhecimento da população, associada à desertificação das aldeias e montes.

J.A.-Que outros problemas necessitam de maior intervenção?
PUF-Criação de condições para que os jovens não abandonem a suas aldeias e comunidades.

J.A.-Que perspetivas tem para o futuro da freguesia?
PUF-Tenho uma forte esperança, que seja repostas as freguesias usurpadas com a lei anterior, e neste caso a reposição da freguesia de Casével.

J.A.-Como é a situação financeira da autarquia?
PUF-Contas normais, com saúde financeira.

J.A. – Qual o apoio que a câmara presta às juntas de freguesia?
PUF-Transferências de verbas através de protocolos de cooperação nas diversas áreas, e apoio nos investimentos a realizar na União de freguesias, para alem de todo o tipo de apoio logístico necessário para a atividade autárquica da freguesia.

J.A.-Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?
PUF-Uma mensagem de esperança na melhoria das suas condições de vida, e que podem contar com o executivo para todas as suas inquietações.

J.A.-Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?
PUF-Com muita facilidade, quando se gosta verdadeiramente da sua terra.

J.A.-Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?
PUF-Continuem no vosso trabalho meritório de promover o poder local democrático.

Go top