» FICHA TÉCNICA
» ESTATUTO EDITORIAL
» POLÍTICA DE PRIVACIDADE
 
HOME | SUGESTÕES | LIVRO DE HONRA | COMENTÁRIOS | CONTACTOS

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Agosto 2016 • I Série - Madeira - Inscrito no ERC sob o nº 125290
INFORMAÇÕES ÚTEIS LOCALIZAÇÃO CULTURA

Conheça o nosso país, consulte as edições anteriores

Cultura

Quinta das Cruzes
A Quinta das Cruzes tem jardins onde pode admirar esculturas arqueológicas, de entre as quais destacamos a pedra tumular que, de acordo com a tradição, cobriu os restos mortais de “Henrique Alemão”.
No centro do jardim encontra as duas magníficas janelas Manuelinas do séc. XVI esculpidas em basalto.
Aqui pode encontrar a casa principal, a capela de Nossa Senhora da Piedade, o jardim arqueológico, a plantação de orquídeas e diversas espécies de canforeiras, palmeiras, eucaliptos da Austrália, entre muitas outras.
Jardim Público de Santa Luzia
Nos últimos anos as entidades governamentais do Funchal têm concertado esforços na criação de mais espaços verdes e zonas pedestres um pouco por toda a cidade. Situado quase no cimo da Rua 31 de Janeiro, o recentemente inaugurado Jardim Público de Santa Luzia foi construído no lugar da, há muito tempo, abandonada Fábrica do Hinton, uma fábrica de aguardente e açúcar de cana e também um dos locais mais importantes ao nível histórico. Manteve-se a enorme chaminé que pertencia à velha fábrica para a posteridade – a influência que este local teve na indústria sacarina da Madeira no passado é algo que não poderá nunca ser esquecido.
Quinta Palmeira
Originalmente propriedade de Harry Hinton, a Quinta Palmeira conta com uma área de cerca de 30.000 m2 e situa-se logo acima da Rua da Levada de Santa Lúzia.
Jardim Municipal do Monte
Descrever um sítio em apenas uma palavra não é tarefa fácil. Encantador… Esta seria a palavra ideal para descrever o Jardim Municipal do Monte
Jardim Botânico
Uma visita ao Jardim Botânico será algo memorável e algo de que não se vai arrepender!
Floresta Laurissilva (Área Protegida)
A floresta natural da Madeira (a Laurissilva) ocupa mais de 20% da superfície da ilha, situando-se entre os 300 e os 1300 metr
eraturas mais baixas e a mais alta taxa de humidade. Esta é a maior concentração de Laurissilva do mundo, sendo conhecida como uma das melhor preservadas.
As suas origens remontam à Terceira Era, altura em que a floresta Laurissilva cobria uma vasta área mediterrânea. Actualmente, encontra-se limitada à região biogeográfica da Macaronésia, que engloba os arquipélagos da Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde.
Grutas de S. Vicente
Centro de Vulcanologia situa-se em São Vicente, uma encantadora vila da costa norte da Madeira, no fundo do vale onde se iniciou a formação da ilha.

Este centro consegue combinar cultura e educação com lazer e entretenimento através de projecções audiovisuais que recriam erupções vulcânicas e o ‘nascimento’ de uma ilha. Aqui também pode visitar as famosas Grutas de São Vicente (que já existiam e que foram incluídas no Centro de Vulcanologia) e passear pelos bonitos jardins plantados com flora endémica da ilha da Madeira.
Fajã dos Padres
A Fajã dos Padres situa-se na costa sul da ilha da Madeira, no fundo do famoso precipício do Cabo Girão, o segundo cabo mais alto do mundo. O nome desta zona vem de ‘Fajã’ – palavra que define um terreno plano, cultivável, de pequena extensão, situado à beira-mar, formado de materiais desprendidos da encosta e de ‘Padres’ – este terreno pertenceu em tempos aos Padres da Companhia de Jesus.

Situada numa enseada, esta terra produziu o melhor vinho Malvazia na ilha e até 1998 o acesso só podia ser feito de barco. Hoje em dia, a descida torna-se bem mais fácil no moderno elevador de vidro – com 350 metros de altura e um dos mais altos na Europa.
Igreja de São João Evangelista do Colégio do Funchal
A bonita Igreja de São João Evangelista do Colégio do Funchal localiza-se no centro histórico da cidade, constituindo um dos mais belos templos da sua época.

Construída no século XVII, a Igreja marca a transição de um estilo Maneirista Europeu para o Barroco Português, primando pelo início da grande ostentação sacra.
Esta combinação estilística marcou este período de expansão Jesuíta, que expandiu a palavra de Cristo pelos “novos mundos”, colonizando e cristianizando novos territórios indígenas.

A Igreja de São João Evangelista do Colégio do Funchal apresenta planta em cruz latina, uma só nave, com capela-mor bem evidenciada, profusamente decorada de talha dourada, e ricos retábulos do século XVII e XVIII, bem como ricos azulejos azuis e brancos do século XVII.
Promenade do lido
Desde a inauguração da promenade, a área do Lido no Funchal, já conhecida pelas facilidades turísticas que oferece, tornou-se uma zona ainda mais vocacionada para o lazer e é procurada tanto pelos habitantes locais como por turistas. Rodeada de palmeiras e agradáveis jardins, esta promenade faz a ligação entre o zona do Lido e a Praia Formosa, oferecendo vistas encantadoras sobre o mar e sobre o Cabo Girão aos que lá passeiam, caminham, correm… ou apenas relaxam num dos muitos bancos espalhados ao longo do percurso!
Sé do Funchal
A Sé Catedral do Funchal é um bonito monumento situado bem no centro histórico da capital do Arquipélago da Madeira, constituindo mesmo a mais emblemática obra do período Manuelino na Ilha da Madeira.

Os trabalhos de projecção e construção iniciaram-se em 1493, sendo concluídos em 1514, sobre os desígnios de Pero Annes e Gil Enes, numa obra característica do gótico tardio, conjugando os materiais locais com saberes antigos e modernos.

A Sé do Funchal é composta por várias capelas de épocas distintas: a de Nossa Senhora dos Varadouros do século XIX, a de Nossa Senhora de Lourdes dos séculos XVIII e XX, as Laterais do século XVII a XIX, bem como o Altar Mor do século XVI, o Altar do Santíssimo do século XVIII, o Altar de Santo António do século XVII, a Pia Baptismal do século XVI, a Sacristia do século XVIII e a Confraria do Santíssimo do século XVIII.

A planta é em cruz latina de três naves escalonadas, de transepto saliente e tecto de madeira, em algumas zonas em estilo mudéjar muito trabalhado, considerado dos mais importantes em território luso.
A sua bonita Torre Sineira destaca-se do conjunto exterior, pela sua imponência e beleza, tendo sido terminada entre 1517 e 1518.
A Sé apresenta um interior rico, com diversas obras de estatuária e pintura, destacando-se os vários pormenores decorativos do templo, como os assentos e apoios de braços, onde estão retratadas cenas da vida Madeirense. Igualmente interessante é a Cruz Processional oferecida pelo Rei D. Manuel I, considerada uma das obras-primas da ourivesaria Manuelina, e o Cadeiral que se conserva no seu local de origem.
O órgão Romântico do século XIX, os retábulos de São Francisco de Xavier e da Sé do Funchal do século XVI e a rica azulejaria decorativa são outros elementos que enriquecem este bonito Monumento Nacional, classificado em 1910.

 

Convento de Santa Clara
O conjunto de edifícios do convento de Santa Clara é uma verdadeira jóia patrimonial, não só pela qualidade do seu recheio, mas principalmente porque, sendo um edifício dos finais do século XV, conseguiu chegar aos dias de hoje com a mesma missão que originou a sua criação há 500 anos atrás: um convento de freiras Franciscanas. Este convento foi fundado nos finais do século XVI pelo segundo capitão do Funchal, João Gonçalves da Câmara e começou a ser construído à volta da capela de N.ª S.ª da Conceição, que foi sendo progressivamente ampliada.
Igreja Inglesa
Esta igreja localiza-se num local semelhante a uma Quinta-Jardim, onde se podem observar belas árvores centenárias e passar por momentos de recolhimento e meditação, longe do rebuliço da cidade. A fachada neo-clássica, dominada por pilares, dá a sensação de se tratar de tudo menos de uma igreja, mas sim talvez uma biblioteca.
Capela do Corpo Santo
Uma das mais antigas Capelas da Madeira, a Capela do Corpo Santo foi construída por volta do ano 1559, pela classe piscatória em honra de S. Pedro Gonçalves Telmo, o Santo Galego, padroeiro dos pescadores.
Foi nesta Capela onde se criou pela primeira vez na Madeira uma confraria religiosa, que tinha como função socorrer os pescadores doentes e inválidos, e as famílias daqueles que o mar tirou a vida. Mais tarde ainda funcionou como hospital e enfermaria.
É uma construção de estilo Manuelino, onde se destacam o portal gótico, a “arca das três chaves” e o seu altar-mor com lindíssimas pinturas representativas da vida do Santo padroeiro, estando situada no centro da Zona Velha da cidade do Funchal
Fortaleza de São João do Pico
Ainda não se sabe ao certo a data exacta da construção desta fortaleza. No entanto, pensa-se que em 1606 a construção já tenha começado. Mas, a conclusão das construções só se verificou na segunda metade do século XVII e é nesse mesmo ano que o nome da fortaleza é mudado para S. Filipe. No século XIX muda novamente de nome, desta vez para S. Miguel, voltando posteriormente para São João.
Igreja Matriz de Ponta do Sol

Capela de Santo António
Pela região da Ponta do Sol, tem-se acesso ao mais belo interior da Ilha da Madeira, em passeios inesquecíveis pelos engenhosos sistemas de irrigação compostos por cerca de 2000 km de canais que cruzam toda a Ilha: as famosas Levadas. Aqui, encontramos deslumbrantes paisagens nas Levadas da Bica da Cana, do Moinho, da Nova dos Canhas ou da Nova da Lombada, que serviram e servem como reservatório natural das águas da chuva, que passa pelas rochas, formando várias nascentes utilizadas nestes sistemas de irrigação ao longo dos séculos.
Pode-se também optar por um percurso mais “Real” atravessando a Ponte do Caminho Real, parte do antigo caminho feito pela Monarquia, que ligava a vila da Ponta do Sol à Madalena do Mar, passando pelos Anjos.

Pela região encontram-se diversas Casas Senhoriais, que atestam a importância agrícola destes solos, que têm produzido ao longo dos séculos, e com a ajuda dos já referidos sistemas de irrigação, os mais frescos produtos da terra.
Levada da Ribeira da Janela (Porto Moniz)

Levada dos Cedros (Porto Moniz)

Piscinas vulcânicas (Porto Moniz)
As suas piscinas nas rochas vulcânicas, ligadas entre si por passeios cimentados, promovem belíssimos panoramas, entre as rochas e rochedos gastos pela erosão do mar, que neles embatem, provocando bonitos efeitos e uma espuma alva tão característica. Estas piscinas são já a imagem de Porto Moniz, trazendo muitos visitantes à região, podendo também optar nos dias de intempéries, pela piscina coberta no centro da vila.
Forte de São João Baptista
O presente Forte de São João Baptista, situado na bonita vila de Porto Moniz da fantástica Ilha da Madeira, é uma réplica de um anterior forte datado de 1730 aqui localizado. Hoje em dia, no edifício, funciona o muito interessante Aquário da Madeira.

O Forte original foi construído no século XVIII, quando Porto Moniz era o local de desembarque mais importante da Costa Norte Madeirense, e também o maior alvo de ataques e pilhagem pirata. Com o desenvolvimento de acessibilidades, e de outras cidades, este porto foi perdendo importância, e a necessidade de protecção costeira foi diminuindo, pelo que no século XIX o Forte estaria dotado ao abandono. Em finais do século XX, as ruínas do Forte são compradas e uma nova roupagem é oferecida ao espaço, que recebe o Aquário da Madeira, mantendo contudo o máximo possível da anterior estrutura.

O Aquário da Madeira foi inaugurado em Setembro de 2005, reunindo onze tanques expositivos que pretendem representar os variados e ricos habitats marinhos do Arquipélago da Madeira, recriando ambientes distintos, onde são observáveis as mais variadas espécies de peixes, mamíferos e invertebrados marinhos, todas capturadas nas águas madeirenses.

O património natural apresenta locais únicos, de beleza ímpar, a que se pode aceder pelas já famosas “levadas” Madeirenses que exploram encantadoramente a Floresta Laurissilva, classificada pela UNESCO como Património Mundial Natural, construídas ao longo dos séculos para aproveitamento das águas pluviais na irrigação deste acidentado terreno.
Pela região de Porto Moniz pode-se aceder às Levadas da Ribeira da Janela, dos Cedros ou a das 25 Fontes, que proporcionam momentos únicos de encontro com a natureza.
Miradouro da Santa
O bonito Miradouro da Santa situa-se na estrada que segue da encantadora vila de Porto Moniz em direcção à Santa.
Sobranceiro à vila, deste miradouro tem-se uma vista privilegiada sobre a parte norte da Ilha da Madeira, mais propriamente da fantástica região de Porto Moniz, com as suas piscinas naturais e o vizinho ilhéu Mole.
Capela de Santa Madalena
Capela de Santa Madalena reúne muitos fiéis e visitantes em Julho aquando as celebrações em honra da padroeira, realizando-se uma já muito famosa romaria
Miradouro do Cabo Girão-Câmara de Lobos
Situado a O este da cidade do F unchal, na fantástica Ilha da Madeira, o Cabo Girão é um promontório quase vertical que se ergue, imponente, a 580 metros acima do mar.
Este é o promontório mais alto da Europa e o segundo mais alto do mundo, tendo-se do seu Miradouro uma vista fabulosa sobre o vasto oceano Atlântico e toda a envolvente encantadora da Ilha da Madeira, com destaque para Câmara de Lobos e Funchal.

Existe também um elevador panorâmico que permite aceder à Fajã dos Pescadores, uma bonita praia, bem como campos agrícolas, de aproveitamento do terreno, que durante muitos anos eram apenas acessíveis de barco.

Sobranceiro ao maravilhoso Miradouro do Cabo Girão, fica o cume do Pico do Galo, onde se encontra a encantadora Capela de Nossa Senhora de Fátima.
Igreja Matriz de Ribeira Brava
A igreja Matriz da Ribeira Brava tem sido considerada ao longo dos últimos anos como o monumento regional com melhor apresentação e o que maior espaço de tempo se encontra aberto ao público. Fotografias da primeira metade deste século revelam a torre sineira rasgada por 3 vãos sobrepostos, no interior, uma antiga tribuna, sobrelevada, na nave lateral do Evangelho.
Igreja Matriz de Porto Santo
Um dos principais monumentos porto-santenses é a Igreja Matriz (também chamada Igreja de Nossa Senhora da Piedade), situada no Largo do Pelourinho em plena cidade do Porto Santo, a qual, por várias vezes, foi incendiada por piratas e corsários que aportavam na Ilha. Hoje, conserva no seu interior belíssimos altares e telas, da autoria de Martim Conrado e Max Romer, cuja arte prende a atenção de todos os que visitam este templo.
Padrão dos Descobrimentos
De secção quadrangular e imponente, o "Pau de Sabão", como é popularmente conhecido, tem em cada uma das faces relevos alusivos aos descobrimentos henriquinos. Da autoria de António Aragão, o Padrão dos Descobertas fica situado na Alameda do Infante e foi inaugurado a 28 de Agosto de 1960
Forte de S. José
Situado numa parte alta da Cidade está o antigo Forte de São José, cuja construção foi profundamente alterada desde os princípios do século XVII. Equipado com uma linha de oito pequenos canhões de ferro que, outrora, serviram na defesa da Ilha. Este forte tornou-se propriedade particular já no decorrer do século XX.
Câmara de Lobos
Câmara de Lobos é uma emblemática cidade, sede de concelho, próxima da capital Funchal, plena de beleza e famosa pela sua animação nocturna.
Dos locais mais antigos e históricos da Ilha da Madeira, Câmara de Lobos deve a sua existência à pesca e à agricultura, tendo sido também dos primeiros locais colonizados na Ilha, um pouco devido à facilidade marítima da aprazível baía, onde hoje em dia estão atracadas as mais variadas, coloridas e pitorescas embarcações piscatórias.
Porto Moniz
Porto Moniz é uma bonita vila, sede de concelho, situada na zona norte da maravilhosa Ilha da Madeira, constituindo mesmo uma das mais antigas localidades do norte da ilha, famosa pelas suas piscinas naturais.
Ponta do Sol
A Ponta do Sol é uma pitoresca vila, sede de concelho, da Ilha da Madeira, famosa pela sua solarenga localização a sul privilegiada, e fertilidade dos solos, tendo sido das primeiras regiões da Madeira a ser povoada. Diz-se que o topónimo terá sido atribuído por João Gonçalves Zarco, um dos descobridores da Ilha da Madeira, ao distinguir numa rocha um veio redondo com uns raios que se assemelhavam ao sol. Os locais afirmam que o topónimo advém do facto de se poder ver, no último rochedo a leste da Vila, o nascer e o pôr-do-sol durante todo o ano.

A vila apresenta um bonito centro histórico, a fazer lembrar as estâncias turísticas de outrora, sempre bonitas e pitorescas.
 
A.N.M.P. | TRÂNSITO | PORTAL DA EMPRESA | INCI | RÁDIO DA REGIÃO | AMBIENTE | METEOROLOGIA | PORTAL DO CIDADÃO
FARMÁCIAS DE SERVIÇO | CLASSIFICADOS | DESPORTO | BILHETEIRA | NOTÍCIAS
Adicionar aos favoritos   Faça do Jornal das Autarquias a sua Home Page