Fevereiro 2017 - Nº 112 - I Série - Lisboa - Inscrito no ERC sob o nº 125290  
Lisboa
 

Carta Aberta aos Munícipes de Lisboa e Fregueses de Avenidas Novas

 

Prezados munícipes e fregueses,

Embora recente na sua criação, fruto da mais recente reforma administrativa da cidade de Lisboa, a freguesia de Avenidas Novas é um espaço recheado de história e tradição. A centralidade da freguesia faz dela uma das zonas com maior dinamismo da capital, em que uma população mais jovem, exigente e dinâmica se cruza com outra mais sénior.

A modernidade do tecido empresarial, a diversidade da oferta de serviços, a qualidade do comércio de proximidade e o rico património cultural e arquitetónico são algumas das marcas das Avenidas Novas. A tudo isto se soma o trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia em áreas sensíveis e prioritárias como a ação social, a requalificação do espaço público, a gestão ambiental e dos espaços verdes, e as múltiplas iniciativas nas áreas da saúde, educação, juventude e desporto, entre outras.

Esta Junta de Freguesia herdou da Câmara de Lisboa várias infraestruturas muito maltratadas e degradadas. Nos últimos três anos, a prioridade foi tratar da sua recuperação e modernização. Foi assim com a antiga Piscina do Rego, hoje denominada Piscina da Freguesia de Avenidas Novas, onde foi necessário investir 400 mil euros. Foi assim também com a reconstrução do Posto de Higiene Urbana de São Sebastião, cujos trabalhadores prestam um serviço inestimável à população, onde foram aplicados perto de 150 mil euros. Atualmente, estamos a proceder à requalificação da passagem pedonal sobre a via férrea e dos elevadores do Bairro de Santos ao Rego, uma obra crucial para acabar com a barreira de difícil transposição que separava uma parte da freguesia do resto da cidade.

Neste intervalo temporal, foram construídos dois parques infantis (na Rua Portugal Durão e na Avenida Duque d’Ávila), requalificados dois jardins (Arco do Cego e Julieta Ferrão), requalificada a Escola Básica nº. 35 e inaugurado o ginásio localizado no complexo desportivo situado na Rua Cardeal Mercier.

Ao nível da intervenção social, desenvolvemos vários projetos, ora dirigidos ao incremento do bem-estar da população em geral, ora visando minimizar situações de marginalização e pobreza de famílias mais carenciadas da freguesia. É neste contexto que nasceram os serviços “SOS Repara”, “Porta a Porta” e “Vá Connosco”, que lançámos os projetos “FAN Sénior”, “FAN Clube” e “Espaço Jovem”, que criámos o cartão FAN – Freguês de Avenidas Novas e a UNANTI – Universidade das Avenidas Novas para a Terceira Idade, que abrimos gabinetes de enfermagem e apoio psicossocial, que promovemos rastreios de saúde para despiste de várias patologias, e que fornecemos o material escolar a todas as crianças da freguesia que frequentam o ensino pré-escolar ou o primeiro ciclo do ensino básico, abrangendo centenas de crianças entre os 3 e os 10 anos de idade.

No final do ano, fomos, entretanto, confrontados com a notícia do encerramento da única esquadra da PSP da freguesia. Tratou-se de um presente envenenado dado pelo Governo e pela Câmara Municipal de Lisboa a todos os fregueses. Uma prenda de Natal que a população não merecia e que, legitimamente, tem contestado. Esta é uma decisão com a qual não nos conformamos. A segurança dos nossos fregueses e da população que diariamente acorre à freguesia é, e será sempre, uma prioridade. Não podemos aceitar que esta decisão se torne irreversível e tudo faremos para que a freguesia volte a ter uma esquadra policial.

Esta autarquiapreocupa-se em permanência com o bem-estar e a qualidade de vida dos seus fregueses e também dos milhares de pessoas que diariamente, por razões profissionais ou outras, aqui se deslocam. O nosso trabalho é feito a pensar em todos, procurando providenciar soluções para os problemas e antecipar necessidades. Para que todos possam condignamente viver as Avenidas Novas.


Daniel Gonçalves

Presidente da Junta de Freguesia de Avenidas Novas

©2007-2017 Jornal das Autarquias Desenvolvido por Webdevice