Julho 2016 - Nº 105 - I Série - Aveiro e Viseu - Inscrito no ERC sob o nº 125290  
Aveiro e Viseu
 

Entrevista do Presidente da Junta de Freguesia de Souselo

José Manuel da Silva Mourisco

 

J.A.-Qual a sua opinião sobre a situação política atual?

P.J.-A situação politica atual está sempre dependente de uma Europa cada vez mais dividida entre os países ricos e com poder e os pobres ou medianos que estão sobre a alçada desses mais ricos. A juntar a isto, o não entendimento nas politicas mais importantes dos partidos portugueses, que apenas pretendem ser poder e não governar ou ajudar a governar um país pequeno mas com muitas capacidades de território e humanas.

J.A.-Que pensa sobre as novas medidas anunciadas por este governo em exercício?

P.J.-Penso que estamos a adquirir novamente o Estado social e que esperamos que a nível de emprego seja resolvido o mais rápido possível a alta taxa de desemprego.

J.A.-O aumento de desemprego gerou muita pobreza e, estando essa freguesia inserida num dos distritos considerados de maior carência económica, como está essa autarquia a gerir esse problema?

P.J.-Fazendo o papel que cabe à segurança social, estando próximo dos problemas e necessidades dos mais carenciados, até a nível da alimentação.

J.A-O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente, no nosso país, e qual a causa/efeito?

P.J.-A violência doméstica não tem aumentado, tem diminuído o medo de denunciar esta situação.

Em relação à causa/efeito, é as dificuldades financeiras muitas vezes causadas pelas dependências que geram hábitos de violência familiar.

J.A.-Qual a vossa opinião sobre a emigração dos nossos jovens, principalmente os mais credenciados?

P.J.-É uma perda para o país por dois motivos: as pessoas com mais qualificações saírem do nosso país e o não retorno dessas pessoas a Portugal porque tornam-se habitantes do país de emigração e por lá constituem a sua família.

J.A.- Qual a vossa opinião sobre a aceitação de refugiados?

P.J.-Sempre a favor de fronteiras abertas a todos, somos todos pessoas. As fronteiras sempre estiveram abertas aos Portugueses que andam por este mundo fora.

J.A.-Que apoio presta a autarquia aos mais idosos?

P.J.-Temos um programa de apoio aos idosos que passa pela cedência de fraldas para os necessitados.

Temos cadeiras de rodas disponíveis para empréstimo e temos a proximidade na tentativa de resolução dos problemas das pessoas mais necessitadas. Temos uma parceria com o Centro de Saúde local com a cedência da nossa carrinha e condutor para levar os cuidados de saúde mais vezes aos nossos idosos acamados.

J.A.-Pedimos que nos faça uma síntese da sua freguesia.

P.J.-Souselo situa-se na extremidade do distrito de Viseu, fazendo fronteira com o Distrito de Aveiro (Castelo de Paiva) e o Distrito de Porto (Marco de Canavezes). É onde o rio Paiva abraça o Douro. Terra de lindas paisagens, de bons vinhos verdes e de pessoas afáveis, simpáticas e que gostam da sua terra. Estamos inseridos na Rota do Românico com a Igreja da Nossa Sra. da Natividade, em Escamarão. Fazemos arte da rede Natura com o Rio Paiva. Podem visitar o cais de Escamarão junto ao Douro e junto à nossa igreja ter uma paisagem fantástica para a nossa freguesia e concelhos vizinhos.

J.A.-Qual o maior problema com que a sua freguesia se debate?

P.J.-A falta de emprego, principalmente para o sexo feminino.

J.A.-Que outros problemas necessitam de maior intervenção?

P.J.-As acessibilidades. O IC35 que nos liga a Penafiel e à A4. O melhoramento do traçado da EN222. O investimento privado, principalmente na área do turismo de habitação e restauração.

J.A.-Que perspetivas tem para o futuro da freguesia?

P.J.-Uma freguesia virada para o Turismo de habitação e enoturismo. Com o investimento que será executado nos próximos meses através da Junta e do Município (infra estruturas de lazer, requalificação das zonas envolventes ao Cais de Escamarão, adquirir terrenos junto ao rio Paiva, entre outras) acho que daremos um passo importante para o privado investir mais em Souselo.

J.A.-Como é a situação financeira da autarquia?

P.J.-As juntas de freguesia têm um problema financeiro que é o da receita. Não temos quase nenhumas receitas próprias, as transferências do estado são para pagar Iva´s, Segurança social, ordenados e pouco mais. Temos alguns protocolos com o município que nos vão ajudando a resolver alguns dos nossos problemas. Mas em termos de pagamentos temos tudo em dia e com uma capacidade de pagamento de 1 semana.

J.A.-Qual o apoio que a câmara presta às juntas de freguesia?

P.J.-Através de protocolos para pavimentação de caminhos, e protocolo anual de competências e apoio em alguns eventos da freguesia.

J.A.-Que tipo de envolvimento a população tem com a autarquia?

P.J.-Em termos de associativismo temos o apoio em diversas atividades de algumas associações

J.A.-Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?

P.J.- “Nós não herdámos a terra dos nossos antepassados, pedimos emprestada aos nossos filhos" (proverbio Índio) Tratem sempre bem a vossa terra pois o que vós deixais é para os vossos filhos e para os vossos netos. Todos juntos com certeza faremos um Souselo sempre melhor.

J.A.-Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?

P.J.-É sempre complicado. O tempo de presidente de junta é tirado Às pessoas mais próximas mas, são os nossos familiares que melhor compreendem que ocupamos este cargo com a vontade de fazer melhor para a nossa terra. E quando deixar este cargo compensarei afetuosamente com mais tempo.

J.A.-Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?

P.J.-Divulguem as nossas terras e as nossas gentes. É o melhor que o nosso país tem.

©2007-2017 Jornal das Autarquias Desenvolvido por Webdevice