Julho 2016 - Nº 105 - I Série - Aveiro e Viseu - Inscrito no ERC sob o nº 125290  
Aveiro e Viseu
 

Entrevista ao Presidente da Junta de Freguesia de Monteiras

Américo Silva

   

J.A.-Qual a sua opinião sobre a situação política atual?

P.J-A situação politica atual, é sem dúvida preocupante! Pois verifica-se que a despesa pública aumente e as receitas diminuem.

J.A. Que pensa sobre as novas medidas anunciadas por este governo em exercício?

P.J-São uma aventura! Aventura essa que tenta agradar apenas a um grupo de ideologias politicas e não a um futuro próspero para o País.

J.A.-O aumento de desemprego gerou muita pobreza e, estando essa freguesia inserida num dos distritos considerados de maior carência económica, como está essa autarquia a gerir esse problema?

P.J-Estamos empenhados em ajudar as pessoas a reencontrar emprego, temos várias situações de Programas Ocupacionais através do IEFP. Mas informamos sempre os jovens que o melhor caminho não é este, incentivamos a lutar por um emprego que lhe dê segurança para um futuro melhor. Visto que não temos condições financeiras, nem legais para os manter como funcionários da Freguesia.

J.A-O que pensa sobre a violência doméstica, que ultimamente tem aumentado drasticamente, no nosso país, e qual a causa/efeito?

P.J-A carência económica a inserção na sociedade a falta de ocupação diária das pessoas e as redes sociais, são a principal causa deste efeito. As pessoas ocupam-se nas redes sociais e outros e não estão preparadas para lidar de uma forma saudável com as novas tecnologias. Muitas vezes deixam-se cair em armadilhas e vícios, que não sabendo lidar com quem está do outro lado, envolvem-se em comentários que muitas vezes conduz à infidelidade.

Isto deve-se a falta de ocupação e diálogo familiar e falta de responsabilidade pessoal e auto-estima.

J.A.-Qual a vossa opinião sobre a emigração dos nossos jovens, principalmente os mais credenciados?

P.J-Os jovens devem criar o seu próprio emprego. Neste sentido as Faculdades onde os jovens são formados devem promover parcerias com empresas e governo para objectivos destes jovens, no sentido de estes serem inseridos no mercado de trabalho. Mas o que se vê é cada um preocupado com o seu ninho. Esquecendo o interesse coletito do País.

J.A.- Qual a vossa opinião sobre a aceitação de refugiados?

P.J-Na minha opinião temos compromissos que os devemos assumir, que é a aceitação! Muito embora eu entenda que haveria outras formas mais lógicas de remediar as coisas.

J.A.-Que apoio presta a autarquia aos mais idosos?

P.J-Ter o conhecimento da situação do idoso e da forma como ele vive, saber as suas necessidades e acompanhamento do seu dia a dia, sem interpelar a sua vida.

J.A.-Pedimos que nos faça uma síntese da sua freguesia.

P.J-Esta Freguesia é fantástica!

J.A.-Qual o maior problema com que a sua freguesia se debate?

P.J-Falta de Saneamento básico

J.A.-Que outros problemas necessitam de maior intervenção?

P.J-Um centro de Dia e Lar.

J.A.-Que perspetivas tem para o futuro da freguesia?

P.J-Um crescimento de população, perspectivando o crescimento da Zona Industrial da Ouvida, que pode trazer mais empregabilidade, e por consoante fixação de pessoas.

J.A.-Como é a situação financeira da autarquia?

P.J-Razoável!

J.A.-Qual o apoio que a câmara presta às juntas de freguesia?

P.J-Protocolos de limpeza da freguesia de ruas e sarjetas dentro das povoações.

J.A.-Que tipo de envolvimento a população tem com a autarquia?

P.J-O envolvimento entre a população e a Junta de Freguesia e boa.

J.A.-Que mensagem quer enviar à população da sua freguesia?

P.J-Agradecer pelo carinho e pelo respeito que tem por mim, assim como agradecer em tudo quanto eles me tem ajudado a cumprir os objectivos, como Presidente de Junta Freguesia das Monteiras.

J.A.-Como consegue gerir a absorvente vida de autarca com a vida familiar?

P.J-Não é fácil! Mas quando se trabalha com muito querer e fazemos com satisfação, tudo em prol dos que mais amamos é possível sermos felizes. Tento viver bons momentos com a minha família e com o meu trabalho profissional e partilhar tudo de bom que faço em prol dos outros. Felizmente devo muito às pessoas pelo gratidão que me concedem como Presidente de Junta e como pessoa.

J.A.-Que mensagem quer deixar ao Jornal das Autarquias?

P.J-Agradecer a oportunidade de este desabafo e obrigado pela vossa iniciativa.

©2007-2017 Jornal das Autarquias Desenvolvido por Webdevice